Especial RUSH (fase 2): Moving Pictures

Moving Pictures (1981) Considerado o magnum opus do trio canadense, esse álbum não é apenas sumidade entre os fãs. Moving Pictures é um marco na história do prog-rock e merece audição do início ao fim. Os flertes com os teclados já davam indícios para onde o Rush levaria seu som nos anos...

Especial RUSH (fase 3): Teclados, samplers e new wave

Signals (1982) Depois do enorme sucesso de Moving Pictures, o Rush começou a resvalar no mainstream. E para continuar a conquistar mais fãs, bastava repetir a fórmula e se jogar na MTV. Não foi o que eles fizeram. Mais uma vez, em uma reviravolta inesperada até pelos fãs, eles mergulharam de vez nos...

Especial RUSH (fase 4): Maturidade musical

Presto (1989) A mudança de som nesta nova fase da carreira do Rush não se daria de forma tão contundente como foi das outras vezes. Aos poucos os teclados começavam a ir para o segundo plano, abrindo caminho para o formato guitarra-baixo-bateria voltar ao front. Para dar uma nova cara à banda, outro...

Especial RUSH (fase 5): Culto à personalidade

Vapor Trails (2002) Após a volta de Peart, o Rush renascia das cinzas em 2001 e eles finalmente se reuniam para gravar. Mas precisavam de mais tempo para “desenferrujar” e o processo todo acabou se arrastando por 14 meses. Como era muita coisa guardada nos porões, as emoções ficaram à flor da pele...

Top 05 – Meus bateristas favoritos – internacionais

Em Woody Allen: A Documentary, o diretor nova-iorquino diz algo com o que concordo, quando indagado sobre o Oscar. Foi algo como: não existe o melhor, existe o seu favorito. Pode parecer uma frase “em cima do muro”, mas não é. Como o próprio Allen disse, no esporte pode haver um melhor. Afinal, a...

« Older Entries Next Entries »