Tungcast#091: Mastodon

 

Diogo Salles e Rafael Fernandes recebem no estúdio Rodrigo Miwa Carvalho, para falar do Mastodon. A análise vai desde os primódios do sludge metal, passando pelos discos conceituais e progressivos, até a consagração definitiva, que fez deles uma das maiores bandas de metal dos anos 2000.

Baixe em mp3 (69MB) – clique com o botão direito e escolha “salvar como”

00:00 – Abertura: “Oblivion”
02:30 – Apresentando nosso convidado Rodrigo Carvalho, do Progcast e do Collectors Room.
05:00 – O início: num show da banda High On Fire, de uma vertente sludge metal, os membros condensaram essa influência com o prog e o psicodélico dos anos 70.
07:00 – O primeiro disco, Remission sai em 2002 com sonoridade bem crua e puxando o som mais para o sludge, mas com uma assinatura própria (ouça trecho de “Elephant Man”)
13:40 – Em 2004, sai Leviathan, baseado livremente na história de Moby Dick, trabalhando o elemento água e trazendo um som mais lapidado (trecho de “Aqua Dementia”)
23:20 – Dois anos depois sai o disco conceitual Blood Mountain, sobre a experiência de escalar uma montanha em busca da Caveira de Cristal e trazendo o flerte com o progressivo de uma forma mais clara (trecho de “Sleeping Giant”)
33:00 – Produzido por Brendan O’Brien, Crack the Skye é lançado em 2009, também conceitual e abertamente progressivo, cujo título remete ao suicídio da irmã do baterista Delior, fazendo um trocadilho com o nome dela, Skye (trecho de “Crack the Skye”)
43:40 – Com The Hunter (2011) sendo uma amálgama de tudo o que a banda fez de melhor e ainda trazendo o lado melódico/acessível, o resultado foi o estouro comercial definitivo. Seria The Hunter o Black Album do Mastodon? (trecho de “Black Tongue”)
55:30 – Em 2014 é lançado Once More ‘Round The Sun (leia resenha aqui). É o disco “pop” do Mastodon? Seria uma tentativa de repetir o sucesso de The Hunter?
1:00:00 – Para onde vai o Mastodon agora? O que mais eles tem a dizer? Depois de 6 discos, eles já começam a mostrar sinais de desgaste?
1:03:00 – Polêmica: o quanto as performances vocais ao vivo prejudicam o grupo?
1:08:00 – Encerramento: “Tread Lightly”

4 Responses to “Tungcast#091: Mastodon”

  1. Marcell Alves disse:

    Excelente Tungcast!

    Eu já conhecia Mastodon, mas depois de ouvir o cast passei a ouvir os álbuns prestando mais atenção. Acho que vocês foram injustos com o Once More ‘Round The Sun. Inclusive, acho ele superior ao The Hunter. Mas claro que é questão de opinião e gosto pessoal. Entendi o que disseram sobre um certo desgaste e repetição de estilo. Acredito que esse é um dos grandes desafios de uma banda: se manter fazendo trabalhos interessantes e desafiadores sem perder o seu estilo consagrado.

    • Diogo Salles disse:

      Oi, Marcell,

      De fato fomos um pouco rigorosos com o “Once More…”, mas a resenha do Rafael (lincada no post) aprofunda bem a questão. Mas a mim não resta a dúvida de que ele carece da força e originalidade do “The Hunter”.

      Forte abraço
      Diogo

  2. Vítor Martins disse:

    Fala pessoal, tudo bom com voces. Conheci o site e simplesmete, pelo simples fato de desse podcast ser so bre minha banda favorita. Vida longa ao geekmusical e ao Mastodon.

  3. Vítor Martins disse:

    Po que legal, falando daminha favorita. Vida Longa ao geek musical e ao Mastodon