Tungcast#079: Led Zeppelin (vol.1)

Neste primeiro volume sobre o Led Zeppelin, investigamos as origens, a formação, a ascensão e o auge da banda, bem como as polêmicas envolvendo plágios, a tara de Jimmy Page pelo ocultismo, as brigas com a imprensa e os discos que os tornaram deuses do rock.

 

Baixe em mp3 (58MB) – clique com o botão direito e escolha “salvar como”

00:00 – Abertura: “Travelling Riverside Blues”
02:00 – O início: ao contrário do que aconteceu com o Black Sabbath, a formação do Led fazia parte do grande plano de Jimmy Page, após a derrocada do (New) Yardbirds.
05:30 – A montagem da banda foi baseada em escolhas a dedo, percorrendo a nata do rock. Page e Peter Grant gerenciavam tudo e pagavam os outros músicos. A estratégia era vender a banda nos EUA (onde os Yardbirds eram muito populares).
12:20 – O primeiro álbum se tornou a pedra fundamental do hard rock, influenciando Deep Purple e Sabbath e alterando os rumos do que as bandas fariam nos anos seguintes. Por outro lado, o disco foi apedrejado pela crítica, que o acusou de ser uma cópia ruim de Truth, de Jeff Beck.
17:00 – Os plágios: entre falsas acusações e cópias escarradas, o caso mais emblemático foi o de “Dazed And Confused” (ouça trecho da versão original), onde Page não deu o crédito ao autor Jake Holmes (ouça trecho de “Your Time Is Gonna Come”)
22:30 – No mesmo ano de 1969, sai o segundo disco, onde eles descobrem a fórmula vencedora, mostrando o que realmente era o Led Zeppelin. Continuaram também os plágios, que seguiam o rastro de bluseiros, trazendo a questão ética para o centro do debate (ouça trecho da introdução da versão original de “Bring It On Home”, de Sonny Boy Williamson II, e a continuação criada pelo Led)
29:10 – O terceiro disco vai numa onda mais folk/acústica, seguindo uma semente plantada lá atrás no primeiro álbum. Com isso, eles se afastaram do rótulo de “barulhentos” e “heavy metal” e mostraram que a banda era muito mais que isso. Foi aí também que o conflito com a imprensa se acirrou, fazendo com que eles ficassem 18 meses sem dar entrevistas (trecho de “That’s The Way”)
39:20Led Zeppelin IV: o auge da criatividade e de foco, antes que as drogas, as polêmicas e a húbris tomassem conta de tudo. O ocultismo se torna parte da ideologia da banda, mas mesmo assim o álbum se tornou o maior clássico da banda e um dos mais icônicos da história do rock. O método de gravação em Headley Grange e o som da bateria em “When The Levee Breaks” (ouça trecho)
54:30Houses of the Holy é um trabalho mais variado e mostra uma banda mais solta, flertando com outros gêneros, como o reggae (D’Yer Maker”) e o funk (“The Crunge”). Tem início a fase megalomaníaca da banda: o jatinho, o selo Swan Song, as filmagens do filme The Song Remains The Same
58:00 – Encerramento: “The Ocean”

Leitura relacionada
Livro: Quando Os Gigantes Caminhavam Sobre a Terra, de Mick Wall

Ouça também
Tungcast#080: Led Zeppelin (vol.2)

4 Responses to “Tungcast#079: Led Zeppelin (vol.1)”

  1. Weslley Machado disse:

    Led Zeppelin é incrível, foi a banda mais importante da década de 70 na minha opinião. Estava esperando por esse Tungcast, agora fico no aguardo para ouvir a segunda parte!

    Aproveitando o espaço, deixo o convite para uma visita em minha página no facebook, nela eu falo sobre os grandes clássicos da música, cinema e entretenimento em geral. http://www.facebook.com/estranhos

    Abraço!

  2. Iago barros disse:

    Puxa…como eu almejava por esse cast rsrs..
    1-Gostei da cobertura mais enxuta dos assuntos sobre a banda,sem se perder do principal: a musica….
    2-Vou iniciar aqui a minha campanha por mais casts progressivos por aki…se quiserem iniciar pelo pink floyd seria uma boa.

  3. Noel disse:

    Acabei de achar o podcast e to baixando pra ouvir…
    estava procurados mais podcast musicais pra adicionar na minha lista…

    parabéns pelo trabalho, pelo menos no titulo já acertaram, não tem como errar Led é sempre muito bom !!!

  4. Vinicius disse:

    Estou junto com o Noel, acabei de achar o podcast e espero que seja bom. Mas, já estão de parabéns só por oferecer um espaço onde a musica é sempre o tema principal.