Tungcast#076: Mr. Big

Programa dedicado a esse grupo de virtuoses formado no final dos anos 80, que saboreou o estrelato nos anos 90 e as inevitáveis brigas de egos até o fim em 2002. Comentamos o início da banda, a discografia, a fase com Richie Kotzen, a volta em 2009 e os shows que eles fizeram no Brasil em 1994 e 2011.

 

Baixe em mp3 (77MB) – clique com o botão direito e escolha “salvar como”

00:00 – Abertura com “Colorado Bulldog” e apresentando nosso convidado Lucindo Tomiosso, estudioso da banda.
02:30 – A formação aconteceu em 1988, dentro de um contexto de “supergrupo”, com todos os membros já bastante experientes.
09:30 – Eric Martin chegou a ser cotado para substituir David Lee Roth no Van Halen em 1985, mas ele “amarelou” e não se saiu bem no teste.
15:30 – Depois de deixar a banda de DLR, Sheehan chama Paul Gilbert e depois conhecem Pat Torpey através de uma gravação para o The Knack.
18:00 – Em 1989 sai o primeiro e autointitulado disco, que hoje soa datado, mas que já mostra todo o potencial da banda (ouça trecho de “Had Enough”)
23:00 – Em 1991 eles estouram com Lean Into It, que analisamos no Tungcast Especial Discos de 1991. “To Be With You” quase não entrou no disco e acabou sendo o maior sucesso da história da banda.
28:20 – A versão “Yahoo” de Rafael Fernandes para “Just Take My Heart” (ouça trechos e compare) e ouça também “Green-Tinted Sixties Mind”.
33:00 – Dois anos depois, sai Bump Ahead, que trouxe a banda pela primeira vez ao Brasil, como headliners do M2000 Festival (em Santos). Foi o maior show da carreira deles, com 100 mil pessoas (trecho de “The Whole World’s Gonna Know”)
40:00 – Em 1996, sai Hey Man, que marca o início das desavenças dentro da banda e reflete no resultado do disco. Mesmo assim rendeu o acústico Channel V at the Hard Rock Live, muito cultuado pelos fãs (ouça “Take Cover”)
45:30 – Em 1999, sai Paul Gilbert (que se dedicou à carreira solo), entra Richie Kotzen.
52:00 – Com Kotzen, a banda grava Get Over It (2000) e Actual Size (2001), que trazem uma nova sonoridade à banda (ouça trecho de “Static”)
59:30 – Mas essa mudança no som não seduziu os fãs, as desavenças continuaram e a banda chega ao fim em 2002, depois da “demissão” de Billy Sheehan. A volta acontece em 2009, com uma série de shows que começou no Japão.
1:06:00 – Em 2011 sai finalmente o disco What If…, que trouxe a banda mais uma vez ao Brasil (ouça “Once Upon A Time”)
1:11:00 – O Mr. Big teve o reconhecimento que merecia? O futuro da banda e a discussão “arte pela arte x arte feita para vender”.
1:18:00 – Encerramento: “Next Time Around”

Links relacionados
Crítica: Winery Dogs
Guitarristas em carreira solo: Paul Gilbert e Richie Kotzen
Especial Discos de 1991: Lean Into It
Meus 05 bateristas favoritos: Pat Torpey

6 Responses to “Tungcast#076: Mr. Big”

  1. Lucindo Tomiosso Jr disse:

    Valeu Diogo e Rafael, ficou muito legal o programa.

    Me senti honrado pelo convite.

    Muito obrigado e grande abraço pra todos.

  2. Eduardo Pinheiro disse:

    Parabéns pelo programa! Mr. Big é uma das minhas bandas favoritas, com seus altos e baixos, como foi dito por vocês. Eu tive a sorte de ver os dois shows deles aqui no Brasil, em Santos (1994) e em São Paulo (2011). OS dois shows foram inesquecíveis, e essa banda ao vivo é espetacular, com algumas improvisações que não estão nos discos de estúdio. Eu gosto dos discos com o Kotzen, mas pra mim Mr. Big tem que ser com o Paul Gilbert. Eu tive a chance de me encontrar recentemente com o Eric Martin após um show que ele fez no festival Firefest, em Nottingham (Reino Unido), tocando com a banda Legends – Voices of Rock. Eu levei alguns encartes para ele assinar, tanto da carreira solo quanto do Mr. Big. Enquanto assinava os da carreira solo, ele estava elogiando algumas capas, mas quando chegou nos do Mr. Big ele parou e disse: “esses já não são tão bonitos, mas são os que pagam a escola dos meus filhos.” Isso mostra que existe uma tensão, e que o dinheiro é o que conta nessa reunião deles. Eu perguntei se ele tinha planos de voltar ao Brasil, e ele disse que pretende vir pra cá no ano que vem com o Voices of Rock. Eu espero que o Mr. Big ainda grave outros discos, e que eles venham novamente para cá, pois é garantia de um grande show.

    • Eduardo Pinheiro disse:

      Apenas complementando meu comentário, gostaria de enaltecer a participação do Lucindo, que se mostrou um profundo conhecedor da banda, com detalhes muito interessantes. O Diogo e o Rafael também mostraram a competência e o conhecimento de sempre. Eu me divirto com os comentários de vocês. A versão Yahoo do Rafael para a Just Take My Heart ficou hilária. Eu ri muito também com o comentário do Eddie VH sobre as músicas solo do Eric Martin. Parabéns mais uma vez a todos pelo excelente programa.

  3. Luciana disse:

    Excelente! Adoro o Mr. Big e gostei muito da participação do Lucindo no debate.

  4. Gustavo Sampaio disse:

    Olá Rapazes!
    Finalmente em descanso, estou colocando em dia a leitura do blog e a escuta dos podcasts,ótimo trabalho!!!