Tungcast#064: Rádio Tungcast 2012

radio_2012

 

Baixe em mp3 (51MB) – clique com o botão direito e escolha “salvar como”

00:00 – Apresentação: as músicas que marcaram o ano de 2012 e seus respectivos álbuns

Mr. Wilson” – artista: Oli Brown – álbum: Here I Am

Beautiful” – banda: Aerosmith – álbum: Music From Another Dimension

Panic Station” – banda: Muse – álbum: The 2nd Law

Blood On The Valley Floor” – banda: Soundgarden – álbum: King Animal

Trinkets Pale of Moon” – banda: The Mars Volta – álbum: Noctourniquet

Blue Ocean” – banda: Flying Colors – álbum: Flying Colors

Seven Ways To Sunday” – banda: TRAM – álbum: Lingua Franca

Dislocated Boy” – artista: Joe Bonamassa – álbum: Driving Towards The Daylight

Otro” – banda: Macaco Bong – álbum: This is Rolê

Ouça também as Rádios Tungcast dos outros anos (desde 2009)

6 Responses to “Tungcast#064: Rádio Tungcast 2012”

  1. Fabio disse:

    Pensei que falariam de Tame Impala, mesmo achando que os participantes não gostam da banda .

    • Diogo Salles disse:

      Olá Fabio,

      Tame Impala é uma boa banda, com fortes referências no rock psicodélico dos anos 60 – não só na composição, mas na timbragem.
      O problema é que eles ficaram lá parados, não tentaram trazer essas referências para a atualidade. Assim, ficam na sobra do que os Beatles e o Pink Floyd (com Syd Barrett) fizeram.
      Quem sabe no futuro a gente pare para debater se vale a pena ficar só no vintage ou se é melhor arriscar algo mais moderno.

      Boa sugestão!
      abs
      Diogo

  2. Eu devo estar sendo meio rabugento, mas analisando pelos álbuns/músicas marcantes de 2012, nada me deixou empolgado. Os maiores destaques estão com camaradas que tem mais de 30 anos de carreira. Na lista de músicas que vocês escolheram o que é mais “radio friendly” é o Muse. Seja como for, para o rock este é um momento unicamente saudosista, e na minha opinião, é difícil achar algo de qualidade ou muito bem produzido dentro de nichos específicos, muitas tentativas mal sucedidas de inovar/experimentar algo inusitado, ou seja, ou é uma homenagem ou é bizarro. Espero que em 2013 eu me empolgue, emagreça, reforme a cozinha e continue vivo.

    • Diogo Salles disse:

      Gustavo, entendo sua frustração do “novo”, pois 2012 foi o ano da velha guarda do rock. Hoje o rock não consegue fazer algo que realmente mude a vida das pessoas.
      Mas isso é por causa de o mercado ter se dividido em nichos – o que aglutina pessoas com interesses comuns, mas ao mesmo tempo afugenta o fã ocasional.

      Veja a volta do Soundgarden, por exemplo. Foi a banda que mudou de 1994 para cá? Não, foi o mercado que mudou. A sonoridade da banda continua lá. Nós é que mudamos nossa forma de ouvi-la.

      Das selecionadas, além do Muse, a do Aerosmith também é radio friendly, não?

      abs
      Diogo

  3. Aerosmith é claro….o bocudo tá em todas kkkkk. Ainda mais com o showcase do American Idol.

    • Diogo Salles disse:

      Esse lance do American Idol, sim, é que foi altamente discutível.

      Tyler querendo bancar a celebridade… hmmm… nada mais anti-rock do que isso, ainda mais vindo de um cara que começou no rock em plenos anos 70.

      Agora, se fosse um desses roqueirinhos “modernos”, nada mais natural…