Tungcast#058: Discos de 1992 (vol.2)

Segundo volume do especial Discos de 1992, desta vez destacando o gênero metal, com a entrada do Rage Against The Machine, a consolidação do Pantera, o sucesso comercial do Iron Maiden, o Kiss saindo finalmente dos anos 80, o Sabbath voltando com Dio nos vocais e o Motorhead fazendo o que sempre soube fazer.

 

Baixe em mp3 (51MB) – clique com o botão direito e escolha “salvar como”

Abertura: “A Land Of Sunshine”, do Faith No More (do disco Angel Dust)
Menções e remissões: Images and Words (Dream Theater), Dirt (Alice in Chains), Mondo Bizarro (Ramones)


Rage Against the Machine – Rage Against the Machine
Disco que sempre figura entre os mais pesados já feitos, com o peso do Tom Morello e a panfletagem do Zack De La Rocha. Forte influência do metal (Black Sabbath, principalmente), mas fazendo remissões aos rappers dos anos 80, Red Hot, Beastie Boys, Cypress Hill e Urban Dance Squad.
música ► “Take the Power Back
___________________________________________


Black Sabbath – Dehumanizer
Um disco mais cru, sem exageros ou os pastiches sonoros dos anos 80. Bom retorno de Ronnie James Dio aos vocais depois de 10 anos afastado da banda. Ordem das músicas no CD feita de forma questionável.
música ► “I
___________________________________________


Pantera – Vulgar Display of Power
Disco obrigatório e definitivo, que fincou o Pantera no cenário metal e que acaba de ganhar uma edição especial de 20 anos. O flerte com o hardcore, metal mais arrastado, quebras de ritmo, os vocais gritados. Destaque para o guitarrista Dimebag Darrell, que faz um bom uso de amplificadores transistorizados.
música ► “Walk
___________________________________________


Kiss – Revenge
Como sempre, a banda tentando estar na moda, com um disco menos farofa e mais “sexo, drogas e rock ‘n’ roll”, mas mostrando aquele Kiss fanfarrão e pueril que conhecemos. Algumas boas músicas, mas com as velhas baladinhas nojentinhas, como “Every Time I Look At You”.
música ► “Take It Off
___________________________________________


Iron Maiden – Fear of the Dark
Último do Dickinson antes de deixar a banda (voltaria só em 1999), com uma abordagem mais direta, melódica, flertando com o pop. Vários singles e muito sucesso, mas sem inovações, como sempre. É uma banda geek símbolo: gigante por conta de seus fãs, nunca por apoio de mídia.
música ► “Judas Be My Guide
___________________________________________


Motörhead – March ör Die
A mesma porrada de sempre, sem grandes mudanças ou revoluções, mas sempre competentes. Músicas que cheiram a Jack Daniels e um boteco qualquer. Uma banda que tem sua base de fãs e se vira vem em qualquer época, com qualquer moda.
música ► “Jack the Ripper

Ouça também
Tungcast#057: Discos de 1992 (vol.1) – As várias faces do rock
Ouça a série completa: Discos que completam 20 anos

8 Responses to “Tungcast#058: Discos de 1992 (vol.2)”

  1. Marcell Alves disse:

    Gostei muito que citaram o Rage Against The Machine nesse cast! Gosto muito da guitarra do Tom Morello e esse é um grande disco.

    Fiquei surpreso por terem citado o Ramones, nunca imaginaria que vocês ouvissem.

    Que ano especial foi esse pra música, hein?

    • Rafael Fernandes disse:

      Fala, Marcell!! Valeu pelo comentário!

      Legal que gostou do programa. O Tom Morello é um baita guitarrista!!

      O Ramones foi coisa mais do Diogo, mas eu acho que valeu citar.

      1992 foi um ano bem interessante de lançamentos de discos. Antes de começarmos a estudar a pauta eu nem tinha me dado conta disso, mas tem cada puta disco!

      Abs,

      Rafael Fernandes

  2. Gustavo Sampaio disse:

    Ah… os metaleiros tiveram muito prazer nos anos 90, digo por que fui um deles, bons tempos, fui a festivais como o Monsters of Rock, shows do “Eicí”*, do Iron, até dos Ramones, jogando fliperama, fumando Hollywood, gravando mixtape ou fazendo fita como era costumeiro… há muito não ouvia Pantera, envelheci e fiquei careta.

    *AC/DC aqui em Curitiba

    • Diogo Salles disse:

      Gustavo, realmente o começos dos anos 90 tinha muita música boa – e para todos os gostos. Veja só a variedade dess especial 92!
      Além do Monsters, tinha também o Hollywood Rock, onde pude ver o histórico show do Page & Plant.

      Marcell, nem sou muito fã de Ramones, mas acho que valia o registro porque foi o fim de uma era no gênero.

      abs
      Diogo

  3. Ricardo Siqueira disse:

    Tom Morello reinventou a guitarra nessa época, todos queriam saber o que e como ele fazia!
    Se você tem vontade de matar alguém e não tem coragem, escute algumas vezes o Vulgar Display e encontre sua vítima! Assisti no Olympia o show desse álbum… sem comentários!!!
    Apesar da estratégia errada, a abertura do Dehumanizer com a batera de “Computer God” é imbatível!!

    Parabéns mais uma vez!

    • Diogo Salles disse:

      Legal que gostou, Ricardo. Espero que seu desejo de morte tenha ficado só na vontade… :P

      Perdi o show do Sabbath no Palace em 1992, mas estive no Credicard Hall para a última turnê do Ronnie James DEUS em 2009.
      Uma noite que jamais esquecerei.

      abs
      Diogo

  4. Mateus de Bem disse:

    1. As guitarradas de Tom Morello neste disco ['Rage Against the Machine'] são demais. Ele mistura funk, heavy metal, hard rock na medida certa. E ainda acho o RATM a melhor banda dos anos 90 (é acho melhor que Nirvana).
    2. Faltou ‘Countdown to Extinction’ do Megadeth.
    3. Fear of the Dark, in my opinion, é o melhor álbum do Iron.

    • Diogo Salles disse:

      Mateus,

      1. Este é o melhor trabalho do Morello até hoje
      2. Tínhamos de fazer opções. Infelizmente não coube tudo.. :(
      3. Também coloco entre os melhores do Iron

      abs
      Diogo