Tungcast#008: Discos subestimados (parte 2)

 

Baixe em mp3 (82MB) – clique com o botão direito e escolha “salvar como”

sub6_extreme6) Extreme – 3 Sides to Every Story (1992)

Qualidades: é a obra prima do Extreme; trabalho fora de série do Nuno Bittencourt, com guitarras funkeadas, riffs e solos memoráveis; fica clara a maturidade da banda em relação ao disco anterior, com letras irônicas e mensagens políticas.

O que atrapalhou: lançado em setembro de 1992 acabou ficando entre a sombra de “More Than Words” e a avalanche grunge, com suas letras depressivas e instrumental mais simples, jogando de lado o hard rock.

Músicas: “Rest in Peace”; “Politicalamity”; “Seven Sundays”; “Warheads”; “Everything Under The Sun”.

sub7_u27) U2 – Pop (1997)

Qualidades: é o disco perfeito para entender a mistura de rock com música eletrônica; soube dosar os elementos eletrônicos, se tornando muito mais equilibrado e coeso do que Zooropa (1993).

O que atrapalhou: o visual extravagante no clipe de “Discotheque”, que trazia os integrantes vestidos de Village People, chocou as pessoas; com a turnê agendada, resultou na pressa em terminar o disco e a banda acabou “enxertando” músicas irrelevantes, como “Miami”.

Músicas: “Discotheque”; “Mofo”; “Gone”; “Last Night on Earth” e “Do You Feel Loved”.

sub8_slash8 ) Slash’s Snakepit – It’s Five O’Clock In Somewhere (1995)

Qualidades: hard rock (sem soar “velho”), é um dos melhores e mais elaborados trabalhos de guitarra do Slash (muito acima do que ele fez no Velvet Revolver), com peso, groove e boas melodias.

O que atrapalhou: o vocalista foi mal escolhido; Slash achou que ele poderia andar sozinho, com uma banda sem estrelas ao seu lado, mas fracassou na tentativa (tanto que ele fez o oposto no Velvet Revolver).

Músicas: “Good To Be Alive”; “Beggars & Hangers-On”; “Dime Store Rock”; “Monkey Show”; “Jizz Da Pit”.

sub9_angra9) Angra – Holy Land (1996)

Qualidades: símbolo de uma banda no auge, o disco equilibra bem o metal melódio e o metal progressivo; tem menos os clichês, é mais original e menos afetado que o Angels Cry (1993); uniu guitarras mais metaleiras do Kiko e do Rafael com as batidas mais brasileiras do Ricardo e o lado “Queen” do André Matos.

O que atrapalhou: mesmo tendo trazido influências brasileiras bem colocadas, o disco sofreu críticas porque, na mesma época, o Sepultura lançou o Roots e disse que o Angra tinha copiado essa influência brasileira no disco, esquecendo que ambos os discos foram lançados quase que simultaneamente.

Músicas: “Zito”; “Nothing To Say”; “Make Believe”; “Holy Land”; “Carolina IV” e “Lullaby For Lucifer”.

Nota de Rafael Fernandes: sobre a citação final a Nothing To Say, o correto é que no trecho comentado a música sobe 1 tom e meio.

sub10_vanhalen10) Van Halen – Fair Warning (1981)

Qualidades: um dos melhores trabalhos de Eddie Van Halen na guitarra, com grande trabalho de harmônicos, “power chords”, “tapping” e solos que entraram para a história do rock; é um disco bastante reconhecido e exaltado entre todos os guitarristas que seguiram o rasto de Eddie.

O que atrapalhou: as vendas ficaram abaixo do esperado, pois o disco não tem “apelo” pop e não possui um hit de FM, mesmo que “Unchained” tenha se tornado um clássico; o disco trouxe temáticas que fugiam da característica de “Party Band” do Van Halen.

Músicas: “Mean Street”; “Unchained”; “So this is Love”; “Hear About it Later”; “Dirty Movies”; “Push Comes to Shove” e “One Foot Out the Door”.

Veja também:
Tungcast#007: Discos subestimados (parte 1)

Conheça o disco do Hermeto Paschoal, Por Diferentes Caminhos, citado no Holy Land (Angra) clicando aqui.

One Response to “Tungcast#008: Discos subestimados (parte 2)”

  1. Ram disse:

    No caso do U2 Pop acho que eles tambem oportunisticamente lancaram em uma epoca que a musica eletronica estava a pleno vapor, com equivalentes como Moby (que ja tinham cds no mercado), no auge da descoberta pelo mainstream… E infelizmente, para eles, os fas daquele estilo nunca realmente compraram o U2 fazendo isso. Ja os fas do U2 me parecem menos interessados no estilo. De repente, se o ativismo do menino de oculos fosse um pouco mais desinteressado, quem sabe ne rsssss

    Para o Angra faltou alguem com carisma para fazer publicidade do disco, porque realmente e bom, e comparavel ao roots.

    O Extreme tem fas muito chatos, e seu show no Hollywood Rock foi um porre… rssss
    Conseguiram ser piores que Skid Row, EMF e Jesus Jones. Living Colour fez um bom show na epoca, e o Seal teve alguns sucessos…